Estrada de Ferro Sorocabana era inaugurada há 140 anos.
Há 140 anos, em 10 de julho de 1875, era inaugurado o primeiro trecho da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), que já foi uma das principais ferrovias do País. Os trilhos se estendiam da região central de São Paulo, desde a Estação Júlio Prestes, até a fábrica de ferro de São João de Ipanema, à época pertencente a Sorocaba, por isso a ferrovia também foi chamada, por um período, de Companhia Sorocabana de Estrada de Ferro de Ypanema a São Paulo.

A primeira composição puxada por locomotiva a vapor saiu da capital às 8h30 daquela manhã, levando acionistas e convidados até a estação de Sorocaba. Nos anos seguintes, a ferrovia idealizada pelo sorocabano Luis Matheus Maylasky, seguiu rumo ao oeste paulista. Os vagões de cargas e passageiros fizeram surgir povoações e cidades ao longo dos trilhos.

Em 1919, a ferrovia chegou a Presidente Prudente e, em 1922, os trilhos tocaram as barrancas do Rio Paraná, em Epitácio Pessoa, na divisa de São Paulo com o Mato Grosso – hoje Mato Grosso do Sul. A extensão da linha até a Baixada Santista só ocorreu em 1937.

A ferrovia, que em 1892 se fundira à Estrada de Ferro Ytuana, transformou-se em ferrovia estadual em 1905, sendo integrada à Fepasa – Ferrovias Paulistas S.A. em 1971. Em 1998, o governo paulista transferiu a malha estadual à União, através da Rede Ferroviária Federal. Os trens de passageiros circularam até 1999.

Os 140 anos de ferrovia, atualmente integrante da malha concedida à ALL- America Latina Logística, são tema da mostra “Imagens da Ferrovia”, com fotografias, desenhos e pinturas que revivem a história da Sorocabana. A exposição tem entrada gratuita no Museu da Estrada de Ferro Sorocabana, no Jardim Maylasky, centro de Sorocaba.

Também foi lançado para lembrar a data o documentário “A Sorocabana: Ferrovia-Cultura”, produzido por Márcio Schimming Dias Lopes, Rafael Paião e Tauan Fontão, que recupera casos, experiências de ferroviários e histórias ligadas à estrada de ferro. O filme, produzido com apoio de leis de incentivo à cultura, pode ser visualizado em redes sociais na internet.
Fonte: Revista Ferroviária