Governo Federal vai impor Trem Intercidades como condição para renovar concessão de ferrovias.

Postado em: 04-04-2019 por:cptmcampinas | Visitas: 248 | Comentários:0

0


Confira o vídeo

O governo federal pretende atrelar a implantação do trem intercidades, que vai ligar São Paulo a Americana (SP), passando por Jundiaí (SP) e Campinas (SP), à renovação da concessão das linhas férreas, que atualmente são de responsabilidade das empresas de trens de cargas. A informação foi confirmada nesta terça-feira (3) pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, em audiência na Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados.

De acordo com o ministro, as empresas que exploram os trilhos entre São Paulo e Americana ainda não entraram em um acordo sobre a implantação do trem de passageiros e, como a concessão está chegando ao fim, o transporte intercidades entraria como uma condição para renovar a autorizar que as companhias têm para operar o trecho.

“Nós vamos utilizar a faixa de domínio para prover o trem intercidades. Para nós é uma revolução porque seria a primeira iniciativa de trem de média velocidade de passageiros do Brasil”, explicou o ministro da Infraestrutura, que confirmou para a próxima semana uma reunião com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para conversar sobre o projeto.

Em dezembro, durante outra audiência na Comissão dos Transportes, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que defende o prolongamento do trem intercidades até Limeira (SP).

O PROJETO

O projeto do trem intercidades de passageiros é uma das bandeiras de campanha do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e foi apresentado pela primeira vez à União em 2015. Em agosto, o governador eleito João Doria (PSDB), ainda como candidato, afirmou a intenção de firmar uma Parceria Público-privada (PPP) para viabilizar a implantação do trem e evitar o uso de dinheiro público na construção das linhas férreas.

O plano inicial do projeto é a ligação de São Paulo a Americana, partindo da estação no bairro Água Branca, e percorrendo 137 quilômetros com paradas em dez estações. Dos 137 quilômetros de extensão do trecho, 83 estão sob administração da Rumo Logística Operadora Multimodal e os outros 54 da MRS Logística.

Fonte: Revista Ferroviária

Deixe seu comentário

Inline