“Projeto que prevê a extensão do trem até Campinas já está na pauta da Alesp.”

Postado em: 18-05-2012 por:cptmcampinas | Visitas: 1.536 | Comentários:0

0

O PL ficará em pauta por cinco sessões, depois segue para tramitação nas comissões.

O PL (Projeto de lei), 295/12 que autoriza o executivo estadual a criar um sistema de Integração Metropolitana e entre Metrópoles de Transporte Coletivo Público para as Regiões Metropolitanas de São Paulo, de Campinas e Aglomerado Urbano de Jundiaí já está na pauta da Assembleia Legislativa de São Paulo. O PL ficará em pauta por cinco sessões para conhecimento, recebimento de emendas e estudos dos deputados, de acordo com o regimento interno da Casa. Após este prazo, ele seguirá a tramitação nas comissões de Constituição e Justiça, Finanças e Transportes.

A Frente Parlamentar do Bilhete Único Metropolitano, coordenada pelo deputado Gerson Bittencourt, irá realizar Audiências Públicas em diversas cidades do interior e, inclusive na Capital, para apresentar o projeto e discutir com a população os benefícios de sua implantação. Além disso, o parlamentar irá incentivar a população para que ela se mobilize, promova abaixo-assinados e se manifeste para cobrar do Governo do Estado ações concretas para integração, extensão e modernização dos transportes metropolitanos.

Clique aqui e confira o PL em Anexo.
Entenda o projeto

O projeto prevê a criação de uma rede de transporte público que inclua todos os modais disponíveis e seja integrado prioritariamente por meio da Linha – 7 Rubi da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) que deve ser modernizada com a adoção de novas tecnologias que permitam a redução em até 20% no tempo estimado da viagem de São Paulo até Campinas para onde a linha deve ser estendida.

É importante ressaltar que, com a modernização e extensão da Linha 7 – Rubi , que hoje vai até Jundiaí, novas estações serão criadas nas cidades de Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas. Municípios que estão na região de Campinas também serão beneficiadas, pois os deslocamentos terão tempo e custo reduzidos.

Segundo o projeto, o pagamento das tarifas do Sistema de Integração Metropolitana deverá ser feita através de um único cartão ou com cartão compatível. Para Gerson Bittencourt, o pagamento feito através de um mesmo cartão irá proporcionar para os passageiros a redução do valor das tarifas.

O projeto também prevê a implantação de bicicletários nas estações e terminais e abre a possibilidade de integração com estacionamentos para veículos particulares no entorno das estações.

Para Gerson Bittencourt, o projeto tem um cunho econômico de extrema relevância para a população e pode trazer ganhos ainda maiores com a criação de umBilhete Único Metropolitano ampliando as possibilidades de integração. “Os usuários do transporte público das grandes cidades terão uma redução significativa no custo da tarifa o que possibilita ao trabalhador uma redistribuição de sua renda”, justifica.

Autor/Fonte: Marina Nogueira
http://www.gersonbittencourt.com.br

Deixe seu comentário

Inline