Proposta de extensão do trem até Campinas já tem mais de 50 mil apoiadores.

Postado em: 25-08-2012 por:cptmcampinas | Visitas: 8.909 | Comentários:14

14

Lançado há dois meses, o abaixo assinado promovido pelo deputado estadual Gerson Bittencourt (PT) já passou por cerca de 30 cidades.

Modernizar e expandir a linha 7 Rubi da CPTM até Campinas, organizar o transporte e integrar os ônibus das Regiões Metropolitanas de São Paulo, Campinas e Aglomerado Urbano de Jundiaí. Esse é o objetivo do abaixo assinado promovido pelo deputado estadual Gerson Bittencourt (PT).

A meta é chegar a 100 mil assinaturas. “Começamos a divulgação do abaixo assinado, e em duas semanas, 10 mil pessoas já haviam aderido. Esse é um projeto que beneficiará milhares de pessoas e de fácil execução”, afirma o deputado, autor do Projeto de Lei 295/12, que regulamenta a proposta.

O Projeto de Lei está na pauta da Assembleia Legislativa para conhecimento, recebimento de emendas e estudos dos deputados, de acordo com o regimento interno da Casa. Após esse prazo, ele seguirá tramitação nas comissões de Constituição e Justiça, Finanças e Transportes.

 

Benefícios para a população

Para Gerson Bittencourt, o transporte sobre trilhos garante pontualidade. “Hoje, cerca de 70 mil pessoas saem daqui da Região Metropolitana de Campinas e se deslocam para a capital, de carro, de ônibus fretado ou ônibus rodoviário. Em nenhuma dessas formas se tem a certeza do tempo que vai demorar – depende do trânsito nas rodovias e, sobretudo, nas marginais. Com o transporte sobre trilhos, a pontualidade é garantida”, afirma o deputado.

Além disso, a proposta garante mais economia no custo do transporte, com a integração do sistema por meio de um cartão, como o Bilhete Único Metropolitano. Já a modernização permite que as viagens sejam mais rápidas e o tempo de espera dos usuários menor.

As folhas do abaixo assinado podem ser retiradas no escritório político do deputado, na Rua Regente Feijó, 1483, no Centro de Campinas, ou no gabinete do deputado na Assembleia Legislativa. Pode também ser assinado pela internet, clicando aqui.

 

Entenda o projeto

A linha 7 – Rubi conta com 17 estações entre Jundiaí e São Paulo, e pode ser percorrida em aproximadamente 80 minutos com tarifa de R$3,00. Na capital, é permitido integrar com a rede da CPTM e do Metrô sem pagar nova passagem. Para utilizar os ônibus da SPTrans, paga-se mais R$1,65 com o Bilhete Único. Não há integração tarifária com ônibus da EMTU ou das demais cidades.

Os trens na sua maioria são velhos, sem ar condicionado, suspensão antiga, estações com pouca ou nenhuma acessibilidade e subestações de energia e instrumentos de sinalização defasados, o que contribui para constantes panes, quebras e superlotação.

No trecho entre Jundiaí a Campinas, as estações estão desativadas, sendo a linha utilizada apenas para transportes de cargas.

O Projeto de Lei do Deputado Gerson Bittencourt (PT) prevê a modernização desse sistema de transporte, com a substituição dos trens velhos, trilhos, sinalização, subestações de energia, passarelas, adequação e reforma das atuais estações, além da construção de uma nova estação em Campinas (ao lado da Unip, no Swift).

Prevê ainda extensão a da Linha 7 Rubi até Campinas, passando por Louveira, Vinhedo e Valinhos, tornando-a a única linha da CPTM capaz de ligar as duas maiores Regiões Metropolitanas e o Aglomerado Urbano de Jundiaí. Mais cidades incluídas, patrimônio histórico resgatado e preservação do meio ambiente.

É ainda mais ousado, quando propõe a integração das tarifas do sistema de transporte público, com a inclusão dos ônibus da EMTU. Mais economia no bolso do trabalhador com a diminuição dos custos com transportes.

Para organizar toda a proposta, propõe a criação de uma Comissão da Mobilidade Urbana, órgão gestor e Câmara de Compensação Tarifária, vinculados aos Conselhos de Desenvolvimento das Regiões Metropolitanas e com participação social. Mais eficiência e transparência de todo o sistema de transportes.

Fonte: Site – Dep. Gerson Bittencourt

Comentários (14)

Postagem de 2012, estamos em 2018 e nada mudou…

Bem, pelo menos o Jonas foi eleito e por isso, sera que ira ocorrer obras mais rapidas para trazer o trem para a região?

Finalmente, espero que seja aprovado esse projeto o mais rapido possivel, vai beneficiar muitas pessoas e favorecerá o crescimento de todas as cidades nesse trecho, mesmo as que não tem estação de trem, já que será possível ir de onibus até a estação e de lá usar o trem, e quem puder e quiser continuar usando as rodovias, que continuem, mas, principalmente a grande massa, com certeza será apenas uma questão de tempo para a CPTM/METRÔ aumentar seus lucros, afinal, trens vazios é dificil de ver, afinal os trens são movidos a energia eletrica, TRENS NÃO POLUEM NEM USAM COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS QUE UM DIA ACABARAM, fora tantos outros benefícios.ESPERO UM DIA PODER VER AINDA TODAS AS CIDADES, PELO MENOS DO ESTADO DE SÃO PAULO INTERLIGADOS POR TRENS METROPOLITANOS E DE PREFERENCIA NO SISTEMA AÉREO, DE CONSTRUÇÃO FÁCIL E BARATA E AINDA QUE NÃO ATRAPALHA O TRANSITO DE AUTOMÓVEIS E PASSAGEIROS, JÁ QUE NÃO HAVERÁ NECESSIDADE DE VIADUTOS OU PASSARELAS.

Caro Bruno!
Concordo com VC.
O que a CPTM poderia fazer, é colocar trens diretos em horário de pico.

Este Sábado eu resolvi fazer o Trajeto da onde eu moro em Indaiatuba até São Paulo pelas Linha 7 Rubi da CPTM…

Primeiramente eu peguei um Ônibus Intermunicipal até Jundiaí passando por Itupeva e finalmente chegando em Jundiaí

chegando entrei no Terminal do lado do ponto que desci pegando o Vl Arens com isso chegando a Estação Ferroviária de Jundiaí

de Jundiaí até Francisco Morato não teve nenhum Problema..trem Vazio…espaço de sobra e a unica coisa era o trem que era muito antigo mais emfim..tudo bem

o Problema começou ao descer em Francisco Morato para fazer baldeação até a Luz coisa que eu acho desnecessária ja que poderia muito bem ir direto sem ter esta baldeação mais tudo bem…

o Problema que a demanda que vem la de Jundiaí até que é grande juntando a de Francisco Morato a plataforma ficou totalmente tomada..resultado… já em Francisco Morato tive que ir em pé até a estação Palmeiras-Barra Funda Onde desci…

fora o incomodo dos vendedores ambulantes na maior parte do Caminho

eu contei pelo menos uns 5 saindo um do vagão e entrando outro vendendo suas águas,amendoins,chicletes..etc…

demorei pouco menos de duas horas para fazer o percurso quase que completo já que desci na penúltima estação

Estou na Luta com vocês para o Trem da CPTM até Campinas e espero que isso aconteça o quanto antes de preferencia até 2015 no máximo pois ja passou da hora de Campinas ter Trem de Passageiros…

como pode a terceira Maior Cidade do Estado De São Paulo não ser servida pela CPTM e como pode a Região Metropolitana de Campinas não ser Também

mais que eu queria acrescentar aqui alem de tudo isso que falei é que alem do Trem ter que vir até Campinas o mais rápido possível a Qualidade de serviços prestados a CPTM a esta linha tem que ser melhorado o mais rápido possível pois pensem comigo…se sem Campinas,Vinhedo,Valinhos e Louveira o Trem ja lota imagina quando tiver atendendo a estas Cidades como sera…

eles terão que colocar mais trens na Linha para diminuir o Intervalo entre uma composição e outra para dar conta da demanda porque eu sei que a Demanda da nossa região sera muito grande e Sobrecarregara estes trens que ja estão ai…

por isso o certo seria trazer este trem até nossa região e colocar mais trens na Linha para diminuir o intervalo de um para o outro para dar conta da demanda que terá…

diria que isso seria obrigação do Governo do Estado já que a Cidade de Hortolândia que faz parte da Região Metropolitana de Campinas abriga a CAF e faz trens e Metros para a Cidade de São Paulo

então nada mais que justo de sermos atendidos com trens de qualidade saindo de Campinas até Jundiaí

bem…emfim por enquanto é isso que eu queria dizer pessoal

um Abraço a todos e Muita força nesta Luta…

estamos ai \o

AH……OUTRA COISA.
NÓS DE CAMPINAS, PODEREMOS PERGUNTAR AO CANDIDATO JONAS DONIZETE SE ESTE TREM VEM OU NÃO VEM

CALMA AÍ PESSOAL!
TEM UM ABAIXO-ASSINADO COM MAI DE 50 MIL ASSINATURAS, TEM UM PROJETO DE LEI APROVADO NA CCJ – COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA DA ASSEMBLÉIA DOS DEPUTADOS, TEM O CANDIDATO JONAS DONIZETE APOIANDO ESSA CAMPANHA, ENFIM, TUDO ISSO NÃO VALE NADA, NÃO TEM NENHUM VALOR?

Sim Amigo, concordo com voçe. Só que mesmo assim o Secretário Jurandir Fernandez falou que só vai fazer esse Trem depois de 2020. Porque ele acha que essa Simples Extençao, vai ser muito difícil e pode levar anos para negociar com a ALL, para recuperar as Linhas Férreas, Reletreficar o que já era Eletreficado na época da FEPASA, e pra eles, Campinas e Regiao ainda nao tem demanda para estender o trem. Só depois de 2020 mesmo(pra eles).
E revoltante!! Estou achendo que esse Luta já está sendo em vão. Nao sei… Na verdade, estou também junto nesse Luta. Quando li aquele Notícia, que o Governo do Estado só vai extender a CPTM até Campinas só depois de 2020. Baixou minha moral na hora…. e depois, o Sindicatos da PAulista e outros Orgaos não falou nada… ou seja, aceitou esse Longo Prazo para o Trem?
Por isso pessoal, esotu deixando essa Luta. Já perdi minhas esperanças. Abraços a todos!

Ainda só acredito vendo pois a CPTM e o governo estão priorizando os trens regionais e só depois ira priorizar o trem até campinas….infelizmente é uma vergonha saber que uma cidade do tamanho de campinas naum tenha trens de passageiros…dizer que precisar de estudos pra ver se o trem é viavel é uma piada….vamos aguardar e ver no que da!!!!! Valeu

Só uma duvida.. onde se encontra os Editais publicados? Em que loink? Porque fui no site da CPTM, nao achei nada a respeito.
Por isso que ainda nao acredito nisso. Apesar que infelizmente todos sabemos que o Governo do Estado, nunca teve interesse de trazer os Trens até a RMC. Se isso está ocorrendo, é graças a nossa luta e pressão.

Abraços. Vamos acompanhar como vai andar o Projeto. Abraços!

Ainda bem! Uma meia-boa notícia, mesmo assim estou duvidoso… fui no Site da CPTM, nao achei nada de Edital, procurei e procurei e nada.
Só quero dizer mais uma vez, que a CPTM colocou o Edital para contrataçao dos Estudos, nao foi simplismente porque eles quis e também porque eles amam Campinas, na verdade e todos nós sabemos que, o Governo do Estado realmente não tem e nunca tive interesse de trazer os Trens até Campinas, isso só foi a frente graças a nossa Luta e a pressão que a Regiao de Campinas está fazendo com o Governo do Estado. Graças a nossa luta!

Outra dúvida.. se alguem achar o Link onde estão os Editais desse Projeto, passe aqui o link pra nós. Só pra agente matar nossa curiosidade e realmente acreditar mesmo se a CPTM está mesmo levando a nossa ideia a frente ou não. Alguem sebe onde está o link dos Ediatais?

Abraços!

Parece que depois de Longos Meses de Espera o Edital da Cptm saiu finalmente

Deixarei a Materia e o Link dela aqui se permitem..

http://www.diariodacptm.blogspot.com.br/2012/08/estado-abre-estudo-para-trem-regional.html

O governo do Estado publicou ontem edital para contratar estudos de viabilidade da extensão até Campinas dos trilhos do trem de subúrbio que ligam São Paulo a Jundiaí. A partir dessas informações, informou a Secretaria de Transportes Metropolitanos, será elaborado um conjunto de diretrizes para novos eixos que demonstrem viabilidade para o transporte de passageiros sobre trilhos. Embora a ferrovia vá até a Capital, a proposta é que ele seja um trem metropolitano, ligando Campinas, Valinhos, Vinhedo, Louveira, Jundiaí e mais cidades até São Paulo.

Se pensar nesse trem para ligar Campinas a São Paulo, o projeto já nasce morto, porque na velocidade que ele percorre, significaria que o usuário levaria mais de 3 horas para fazer o trajeto e não teríamos passageiros para isso. Mas ele pode ter alguma viabilidade se for um trem com o perfil de interligar as cidades no seu trajeto, afirmou o secretário Jurandir Fernandes. Os trens da CPTM da linha 7, que ligam a Estação da Luz a Jundiaí, param em 17 estações atualmente. Como trem suburbano, embora sua velocidade atinja entre 80 e 90 quilômetros por hora, a velocidade comercial, por causa das paradas, é de 30 a 35 quilômetros por hora.

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) quer transporte ferroviário, independente do trem de alta velocidade. Para os prefeitos, é essencial que a ferrovia seja o modal de transporte entre as cidades e que os vários projetos em estudo sejam definidos e implantados, até mesmo para que as ligações sobre trilhos possam atuar como alimentadoras do TAV. Além do trem-bala, há pelo menos sete estudos e projetos na região envolvendo o transporte ferroviário que perambulam por várias instâncias de governo, mas nunca saíram do papel.

Conforme o edital de tomada de preço, o estudo visa estabelecer uma rede de transportes metropolitanos sobre trilhos, com modernos padrões de serviço, que amplie a acessibilidade e a mobilidade na RMC e combine alternativa de alta capacidade com modalidades de média capacidade. O propósito é que, integradas com as demais opções de transportes existentes na região, possam ser implantadas progressivamente, oferecendo mais acessibilidade e mobilidade à população.

O governo do Estado continua resistindo a ideia de um trem regional até Campinas, com base em acordo feito com o governo federal, de que não implantaria nenhum trem que inviabilizasse o TAV. Mas em uma parceria entre os dois governos, Campinas poderá ter o TAV e o trem regional, já que o sistema proposto pelo Estado atenderia ao chamado público de transporte pendular (pessoas que trabalham fora da cidade e voltam para a cidade de origem todos os dias).

Com velocidade máxima de até 160 km/h, a proposta seria ter custos semelhantes ao do transporte rodoviário. O TAV, com tarifas mais elevadas, teria prioridade para o público vindo dos aeroportos de São Paulo e Campinas e de padrão de renda mais elevado..

Saudações a todos! O mais importante é a diminuição de veículos de passeio e alívio do trânsito. Concominantemente, menos poluição e menos acidentes de trânsito, e mais empregos!

Sou pela instalação de linhas de trens da CPTM, construídos com o mesmo lay-out externo dos trens da linha 7, mas com o salão de passageiros mobiliado com bancos ao modo dos ônibus rodoviários, SERVINDO CAMPINAS, SOROCABA E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, sobre o leito das ferrovias de carga existentes e com paradas nas sedes de municípios ao longo dos atuais traçados.
Sou pelo alargamento das atuais faixas de domínio das ferrovias existentes, para duplicação de vias.
Sou contra a construção de linhas paralelas, distantes 5 a 20km dos traçados atuais. E sou contra a desapropriação de novas terras para novos traçados.

Deixe seu comentário

Inline